A queda da Bolsa de 1929 foi um evento histórico que transformou o mundo. Em 24 de outubro de 1929, conhecido como Black Thursday, a Bolsa de Nova York experimentou uma venda massiva de ações que resultou em um pânico generalizado no mercado financeiro. Isso acabou levando ao Crash da Bolsa de 1929 e ao início da Grande Depressão.

A economia global sofreu enormemente durante a Grande Depressão. O colapso financeiro nos Estados Unidos se espalhou para o mundo inteiro, afetando massivamente a produção, o comércio e o emprego em todo o mundo. Na Europa, a Grande Depressão foi marcada pela queda de preços e uma alta taxa de desemprego.

A bolsa de valores de Wall Street foi o epicentro do colapso financeiro de 1929. O preço das ações subiu a níveis insustentáveis ​​devido a especulações intensas e sem regulamentação. Quando a bolha especulativa estourou, ela levou a uma queda no valor das ações e a uma crise financeira.

As causas do Crash da Bolsa de 1929 são muitas e complexas. A especulação excessiva, a falta de regulamentação, o uso de margens, o crédito fácil e a inflação excessiva foram os principais fatores que levaram à queda do mercado acionário. Vários fatores econômicos e políticos contribuíram para a crise, incluindo o aumento das tarifas comerciais e a queda dos preços agrícolas.

Várias medidas foram tomadas para enfrentar a Grande Depressão e evitar a repetição da crise. O Presidente Franklin D. Roosevelt implementou o New Deal, uma série de políticas econômicas e sociais destinadas a estimular a economia e ajudar a população em dificuldades. A Securities and Exchange Commission (SEC) foi criada para regular o mercado de ações e prevenir fraudes.

Em conclusão, o Crash da Bolsa de 1929 foi um evento que mudou a economia global e deixou um legado duradouro. A queda da Bolsa de Nova York foi um colapso financeiro sem igual até aquele momento e marcou o início da Grande Depressão. Embora as causas do Crash da Bolsa de 1929 ainda sejam debatidas, as consequências desta crise financeira fizeram com que fossem tomadas medidas para evitar sua repetição no futuro.